Buscar
  • Jordan Tomazelli Lemos

Vítima de Violência Doméstica pode retirar a medida protetiva?



Hoje, enquanto redigia petição envolvendo a revogação de medida protetiva de urgência (ou simplesmente MPU), pensei sobre um tema que gera controvérsias perante a sociedade.


Direto ao ponto, a resposta à pergunta é NÃO. Primeiramente porque as MPU (afastamento do lar, proibição de contato, etc) não são definidas pela vítima, mas sim pelo magistrado (a) responsável pelo caso.


Assim, qualquer medida envolvendo a revogação deste ato deverá ser tomada pelo próprio Poder Judiciário.


Caso a vítima de violência doméstica entenda que as MPU não são mais necessárias, deverá manifestar esta vontade perante a Vara de Violência Doméstica, cabendo ao juiz (a), frente a todos os elementos e circunstâncias que envolvem aquele caso específico, determinar a revogação ou manutenção das medidas.


Tal intervenção é necessária, já que podem haver situações em que a vítima está sofrendo algum tipo de constrangimento e se sinta pressionada a "retirar" as acusações. Neste caso, a cautela do Poder Judiciário é ainda mais relevante.


Por fim, caso as medidas tenham sido revogadas por ter o judiciário entendido que já não são mais necessárias (decisão que deverá ser devidamente fundamentada), é evidente que poderão ser decretadas novamente a partir de novas notícias envolvendo violência doméstica (reiteração), razão pela qual a vítima jamais estará desamparada pelos órgãos de proteção e segurança pública.

3 visualizações

JORDAN TOMAZELLI LEMOS

Advocacia Criminal